Em noite verde-amarela, Demian Maia vence o invict Ryan LaFlare. Erro de árbitro marca negativamente o UFC Rio

Demian venceu mais uma no UFC (Foto: André Durão)

Com a vitória do Meio Médio Demian Maia na luta principal do UFC Fight Night: Maia vs. LaFlare, a esquadra verde-amarela que adentrou ao octógono mais famoso do planeta obteve quase 100% de triunfos na noite do último sábado, 21.

Demian Maia acaba com o cartel perfeito de LaFlare

Realizado no Ginásio do Maracanãzinho, a esperada luta entre o brasileiro Demian Maia e o, então invicto Ryan LaFlare, teve o que os fãs brasileiros do MMA queriam, o domínio de Maia sobre o seu oponente. Mesmo mostrando uma supremacia no combate, levando diversas vezes LaFlare para o chão, Demian não conseguiu aplicar a finalização em seu adversário. Levando o combate até o final do regulamentar 5 assalto, a devisão do confronto ficou para as papeletas dos juízes laterais que, de forma unânime, deram a vitória ao Faixa Preta de Jiu Jitsu Demian Maia.

Ao final do combate, em entrevistas, o Meio Médio ressaltou que, além de buscar as finalizações em seus combates, terá que adaptar o seu jogo para passar a castigar seus adversários no ground’n’pound quando a situação assim exigir.

Erick Silva vence a segunda consecutiva

Desde a sua estreia no UFC em 2011, Erick Silva nunca havia obtido duas vitórias em sequência. Mas bastou encarar o veterano do TUF 1 Josh Koscheck para que esse objetivo fosse atingido dentro da organização do manda-chuva Dana White. Mostrando uma evolução em seu jogo, o “fenômeno capixaba” precisou de pouco mais de quatro minutos de combate para aplicar uma guilhotina em Koscheck para ter o seu braço erguido em triunfo, para a alegria e satisfação do enorme público que compareceu e torceu pelo lutador brasileiro.

Com essa vitória, Erick Silva passa a ser dono de um cartel de 18v-5d-1NC, enquanto Josh Koscheck amargou a sua quinta derrota na sequência, passando a estar em sua situação complicada dentro do UFC.

Dois nocautes que valeram por 10

Fazendo suas estreias no UFC, os atletas Fredy Serrano e Bentley Syler protagonizaram um duelo sul-americano dentro do cage. No round de número três, o colombiano Serrano venceu o boliviano Syler com um nocaute clássico, dígno de entrar para a lista dos melhores do ano. Foi aplicar um potente uppercut e seu adversário desabou no octógono.

Dono de um boxe de primeiro nível, o baiano Edmilson “Kevin” Souza alcançou a sua 10ª vitória seguida, sendo a terceira no UFC, mantendo-se sem conhecer o amargo sabor da derrota dentro da organização. E a vitória obtida contra o japonês Katsunori Kikuno veio com a sua marca registrada. Encaixando um forte direto de encontro em Kikuno, a luta foi interrompida com mais um nocautaço de Edmilson Kevin.

Quase 100% de aproveitamento

De todos os brasileiros que lutaram na noite de sábado no Rio de Janeiro, apenas em uma luta já era sabido que um lutador brazuca seria derrotado. Tratava-se do duelo onde os brasileiros Gilbert Burns “Durinho” e Alex Oliveira se encararam. e a vitória foi dada ao companheiro de treinos de Vitor Belfort.

Atleta da RFT, Jorge “Blade” Oliveira aidna não sabe o que é vencer no UFC. Finalizado por Christos Giagos no primeiro assalto, Blade anotou a sua segunda derrota na organização.

Erro bizonho de arbitragem marca card preliminar

E o ponto negativo do UFC Fight Night: Maia vs. LaFlare ficou por conta do erro grotesco da arbitragem de Eduardo Herdy, escalado para mediar o duelo entre Leandro Buscapé e Drew Dober. O brasileiro Buscapé pegou Dober em uma guilhotina no segundo round.

Apesar de estar consciente e quase escapando da finalização, o árbitro, de forma surpreendente, interrompeu o combate declarando o seu final, acreditando que o norte-americano teria apagado durante o golpe aplicado. Em entrevistas após o evento, Dana White estava inconformado com o atuação de Herdy. “Foi um dos maiores erros de um juiz na história”, declarou White.

Confira os resultados completos do UFC Fight Night: Maia vs. LaFlare:

– Brasil Demian Maia venceu Estados Unidos Ryan LaFlare – Decisão Unânime (48-46, 48-46 e 48-46)

– Brasil Erick Silva venceu Estados Unidos Josh Koscheck – Finalização (Guilhotina) – 4’21” R1

– Brasil Leo Santos venceu Estados Unidos Tony Martin – Finalização (Mata Leão) – 2’29” R2

– Brasil Amanda Nunes venceu Estados Unidos Shayna Baszler – Nocaute Técnico (Chute na Perna e Socos) – 1’56” R1

– Brasil Gilbert Burns “Durinho” venceu Brasil Alex Oliveira – Finalização (Armlock) – 4’14” R3

– Brasil Godofredo Pepey venceu Estados Unidos Andre Fili – Finalização (Triangulo) – 3’14” R1

– Brasil Francisco “Massaranduba” Trinaldo venceu México Akbarh Arreola – Decisão Unânime (30-27, 30-27 e 30-27)

– Brasil Edmilson “Kevin” Souza venceu Japão Katsunori Kikuno – Nocaute (Soco) – 1’31” R1

– Brasil Leandro “Buscapé” Silva venceu Estados Unidos Drew Dober – Finalização Técnica (Guilhotina) – 2’45” R2

– Brasil Leonardo “Macarrão” Mafra venceu Estados Unidos Cain Carrizosa – Decisão Unânime (30-26, 30-27 e 30-27)

– Estados Unidos Christos Giagos venceu Brasil Jorge “Blade” Oliveira – Finalização (Mata Leão) – 3’12” R1

– Colômbia Fredy Serrano venceu Bolívia Bentley Syler – Nocaute (Soco) – 1’34” R3

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: