Anderson Silva dá as cartas no UFC. Entenda o porquê do Spider decidir seu presente e futuro no UFC

Por Eduardo Cruz

Desde os primeiros vídeos da série sobre a recuperação de Anderson Silva, lutador de 39 anos que teve a perna fraturada em dezembro do ano passado na disputa do cinturão dos pesos médios, que teve início a especulação sobre qual seria o seu adversário no retorno ao octógono do Ultimate Fighting Champioship.

Em junho deste ano, o agente Ed Soares nomeou três adversários para a reestréia do Spider: Michael Bisping, o eterno candidato à disputa do título até 84kg, Cung Le, que faz mais sucesso como ator do que como lutador, e Nick Diaz, ex-desafiante ao cinturão dos meio médios que também já lutou como peso leve.

Prevaleceu o nome de Nick Diaz, que não luta desde a derrota para Georges Saint Pierre em 16 de março de 2013, quando foi dominado pelo canadense durante cinco rounds. Nick anunciou a sua aposentadoria após o insucesso mas declarou que Anderson seria o desafio que o motivaria a interromper a inatividade, desde que recebesse o preço certo.

O presidente Dana White logo tratou de promover a luta como se esta fosse a mais aguardada pelo público. A um canal americano, ele disse: ”A luta que todos os fãs estão esperando e que vêm pedindo tanto finalmente vai acontecer. Acertamos a volta de Anderson Silva contra Nick Diaz no dia 31 de janeiro, em Las Vegas. Essa será a luta principal, disputada em cinco rounds no peso médio”.

White completou o anúncio garantindo Diaz como próximo desafiante ao cinturão dos médios, e se por uma infelicidade no transcurso da luta – como uma canela quebrada, por exemplo -, o americano vencer, ele literalmente furar a fila que tem Ronaldo Jacaré como primeiro colocado, logo após Vitor Belfort ter a sua chance contra Chris Weidman, campeão do peso.

O paulista conseguiu o que queria: enfrentará um adversário menor, mais fraco fisicamente e que não luta há mais tempo que ele. Como bûnus para o combate, Nick Diaz é polêmico e vende muitos pacotes televisivos, o que resulta em maior bolsa de pagamento aos já bem remunerado Andy Silva.

A mais importante declaração do “Aranha” desde a sua volta à rotina de treinamento foi a de que ele planeja lutar até recuperar o cinturão e que não vai parar de lutar enquanto não conseguir realizar seu objetivo. Talvez por isso ele tenha rasgado o antigo contrato de oito lutas restante para assinar novo acorde que prevê quinze lutas.

Mas para chegar à disputa do título, o recordista de defesas de cinturão do UFC terá de enfrentar os melhores competidores da categoria. Anderson, que lutou contrariado contra o ex-companheiro de equipe Vitor Belfort, deixou claro que não vai querer encarar Ronaldo Jacaré, com quem treina atualmente.

“Nunca falei sobre meus adversários. Você se credencia a chegar aonde deseja e nunca desafia alguém. Não lutaria com o Jacaré, que é meu companheiro de treino. Luta é luta e não fico falando com quem gostaria de lutar”, disse em recente coletiva de imprensa realizada no Rio de Janeiro.

Silva pode não escolher seus adversários, mas dá a entender contra quem não lutará no octógono. Sua influência acerca de seu futuro no Ultimate é tão decisiva que ele possivelmente mudará o formato do TUF Brasil, programa em que ele sempre deixara claro que não gostaria de atuar, mas mudou de ideia e foi anunciado como treinador da quarta temporada ao lado de Maurício Shogun.

“Acho o TUF sensacional. Tem que mudar algumas coisas que não são legais. Você coloca um monte de atleta e algumas coisas na casa não são legais e não passam a imagem real dos atletas. Vi neguinho jogando comida, destruindo coisa. Eu não tinha o que comer no começo. Isso não é legal. Já disse que não gostaria de participar por isso. Perde um pouco a busca daqueles atletas por uma melhora em suas vidas”, disse semana passada.

“Se quando eu tivesse começado, tivesse oportunidade de participar do TUF, já tinha me aposentado há muito tempo. Eu participaria, mas não nas condições de agora, pois não mostram a realidade”, disse Anderson, que sugeriu na ocasião Rogério Minotouro como técnico do TUF Brasil 4 com Maurício Shogun.

Anderson furou o olho de Minotouro Nogueira, brinquei em um comentário feito nas redes sociais. Brincadeiras à parte, Anderson – morador da cidade de Las Vegas – participará do reality show versão brasileira que será gravado pela primeira vez nos Estados Unidos. Ele sempre criticou o formato do programa e cobrou que fossem mostrados os aspectos positivos das artes marciais e o treinamento dos lutadores, que vivem rotina muito diferente da arruaça apresentada pela atração na Globo.

Se cumprir o novo contrato integralmente e mantiver a média de duas lutas por ano, Anderson Silva lutará até os 47 anos de idade, manterá o tabu de não enfrentar amigos de alto nível e seguirá – não escolhendo adversário, como ele diz – indicando qual será o próximo desafio no octógono.

Fonte: Blog Mano a Mano

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: