Sonnen detalha covardia de Wanderlei e equipe no TUF Brasil 3

foto: reprodução/TV Globo

A briga entre Wanderlei Silva e Chael Sonnen foi mostrada no episódio de ontem do TUF Brasil 3. Os treinadores do reality show atingiram o ápice da rivalidade e não aguardaram o co-evento principal do UFC 175 para saírem na mão. O americano explicou que havia acabado de voltar do almoço e recebeu do anfitrião tratamento silencioso como nos dez dias anteriores em que ele não lhe havia dirigido a palavra.

“Ele estava arruinando esse aspecto do show, não havia interação entre ele e eu. Caminhei para lá e pude apenas sentir que ele estava me encarando e por alguma razão o programa nunca começava. Viro a minha cabeça e ele realmente estava me encarando com aparência de louco. Ele estava fazendo todo o processo com o qual assustaria japoneses no passado. Isso não vai funcionar comigo”, relatou à FOX Sports.

“Wanderlei então começou com o lenga-lenga. Tudo OK com o discurso vociferado, estou feliz porque ele estava conversando, pelo menos havia um elemento aqui, ao menos há algo do aspecto de entretenimento, algo está acontecendo”, prosseguiu Chael, que admitiu não ter compreendido metade do discurso de Wanderlei, mas a linguagem corporal deste dizia toda a história. Silva estava tentando intimidá-lo naquele momento.

“É difícil entendê-lo, ele gosta de se certificar de que não posso entendê-lo, foi sempre assim a forma como ele fazia em seus vídeos comigo. Ele resmungava algo e então legendava isso e colocava na Internet”, disse Sonnen – recordando-se de um encontro que teve com o rival em uma van, onde foi ameaçado de perder os dentes se continuasse a falar mal do Brasil e dos lutadores brasileiros.

Sonnen declarou ter feito o seu melhor durante o programa mas o principal problema foi que ele estava atuando com alguém legitimamente louco. “Posso ver isso no rosto dele, posso ver isso em sua linguagem corporal, ele tem o direito de ser ou se trabalhou nisso, mas posso dizer que agora não estou lidando com uma pessoa racional e isso não é bom. Muito em breve isso vai intensificar  e ele se aproximou muito e eu até lhe implorei: ‘Por favor, pare’ – e ele não parou”, lembrou.

foto: reprodução/TV Globo

“Ele é um valentão e uma coisa que um valentão vai fazer se ele souber que você não quer brigar é permanecer em cima de você por uma briga. Porque eu estava tentando cair fora, e o machão, claro, teve de alimentar a animosidade e finalmente chegou tão próximo que eu tive de empurrá-lo de volta”, narrou o técnico do time verde pouco antes da situação se tornar caótica.

foto: reprodução/TUF Brasil

Após o empurrão, Wanderlei tentou – sem sucesso – atingir Chael com um tapa e foi derrubado. Quando os brigões atingiram o chão, André Dida – técnico auxiliar do time amarelo – se adiantou aos demais presentes e desferiu socos no forasteiro. Golpes covardes e ilegais em qualquer competição que o líder da Evolução Thai tenha participado em todo o mundo.

A turma do deixa-disso separou os treinadores do TUF Brasil 3. Um dos membros da equipe de Chael Sonnen pediu a Wanderlei que parasse, já que aquilo não valia a pena e que o sonho dos atletas estava em jogo. Silva discordou e Dida – como os brigões de porta de estádio – celebrou a agressão com parte da camiseta do americano em suas mãos, como se fosse o título de uma conquista memorável que ele nunca teve no MMA ou mesmo no K-1.

“Wanderlei é o pior lutador do UFC, mas ele ainda é um lutador do UFC e quando estou lutando com ele, com as minhas mãos ocupadas, outro alguém vem e esse alguém não é apenas um cara, ele é um lutador Professional. Ele é um striker do K-1 e ele me atinge atrás da cabeça, o que é completamente ilegal no padrão do MMA, e ele esta fazendo isso sem luva”.

“Não fui socado por um homem feito sem luva desde os anos 90. Ele arrancou a minha camiseta e isso também é ilegal. Eu poderia tê-lo mandado para a cadeia, há um número de coisas que poderiam ter acontecido e eu não fiz. Coisas aconteceram, tudo bem, o inchaço na minha cabeça vai diminuir, nós estamos bem”, complementou o ex-desafiante dos cinturões dos pesos médios e meio-pesados do UFC.

Chael prosseguiu o relato da confusão, dizendo: “Foi a comemoração mais tarde e eu vou quotá-lo [André Dida] “a cabeça dele está muito machucada” – e eu pensei ‘sim, é o que acontece quando um cara te soca atrás da cabeça repetidamente. Isso machuca. Isso de fato é algo estranho para se celebrar. Você deveria se sentir como um covarde, deveria se sentir mal por isso ter acontecido’”.

Sonnen afirmou que, se um dos técnicos dele tivesse agido como Dida, ele não estaria mais treinando e criticou o crime cometido. “Aquilo foi algo estranho que ele não deu conta e com que não teve problema algum. Na verdade, eles celebraram isso e estavam felizes por pular sobre alguém. Foi ilegal, foi um crime. Não há duas maneiras de se ver isso, foi um crime absoluto do qual eles ficaram orgulhosos”, sentenciou.

O ‘gangster de Portland’ não tem a mínima ideia porquê Wanderlei estava tão agitado naquele dia ou porque escolheu aquele momento antes da pesagem para atacar, mas acredita que um episódio ocorrido no dia anterior quando a escolha da próxima luta havia sido feita influenciou o incidente. Wanderlei, que era o responsável pela escolha, atrasou-se por aproximadamente 4 horas e ninguém sabia se ele apareceria.

“Quando ele finalmente chegou lá pelas 2 da tarde, estava claro que ele havia acabado de acordar e ele fedia, cheirava álcool. E isso o deixou tão louco que ele estava errado e eu o expus. ‘Wanderlei, não posso te cobrir, você fede como cervejaria e está quatro horas atrasado’. Aquilo o arrasou, ele sentiu que não precisava fazer parte do show e eu quebrei um código de homem ao dizer aquilo”.

Wanderlei se defendeu e explicou o atraso: “Nem beber eu bebo. Eu me atrasei porque eu estava no médico. O cara é falso, fala um monte de besteira, e infelizmente tem uns caras em casa que não me conhecem e que vão acreditar nessas besteiras. Não querem nem saber se isso é verdade ou se não é. O cara fica sendo irônico e sarcástico com todo mundo aqui. Então, ter uma pessoa como eu chateada com você não é uma coisa muito boa”.

Vitória ofuscada

foto: reprodução/TV Globo

Rick Monstro finalizou Cabo Job facilmente com uma chave de braço e avançou às semifinais. Com o resultado, a equipe de Wanderlei Silva venceu a quarta luta consecutiva e ampliou o placar da competição para 4×0. O  peso pesado Rick se junta aos classificados Antônio Cara de Sapato (também do peso-pesado), Wagnão Gomes e Ricardo Demente – do peso médio.

Bastidores

Fontes próximas às gravações do programa revelaram ao blog Mano a Mano que Chael Sonnen ganhou o respeito dos competidores das duas equipes pela conduta que teve em relação aos atletas. É bem verdade que a arrogância de Wanderlei Silva contribuiu para o sucesso do americano, que veio ao Brasil com a missão de ser o cara mau do reality, mas que aos poucos conquista a simpatia dos telespectadores.

Fonte: Blog Mano a Mano

Anúncios

3 Responses to Sonnen detalha covardia de Wanderlei e equipe no TUF Brasil 3

  1. Michel Rigon disse:

    Tem de manda o Dida embora, ali estão lutadores, marginais tem um monte nas ruas.

  2. GUGO disse:

    pronto agora SONNEN VIROU MITO palhaçada hein
    esqueceram que esse babaca falou do Brasil, dos lutadores Brasileiro

  3. essa luta pra mim foi mais Fake q Power Ranger

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: